sábado, 20 de junho de 2015


Foi noticiado pela BBC NEWS, que uma alta corte judicial na Inglaterra considerou que uma vítima de abuso sexual que processou a Organização das Testemunhas de Jeová tinha direito a uma indenização de cerca de 400.000 euros (£275,000), tendo-se dado como provada a negligência da entidade legal das Testemunhas de Jeová – Watchtower – na proteção da mesma e no encobrimento dos abusos, acabando por proteger o abusador sexual.

O abusador faleceu à idade de 72 anos, em 2001, pouco tempo depois da polícia o ter detido em sua casa. Ele era Servo Ministerial (função eclesiástica) quando começou a abusar da vítima em 1989, à idade de 4 anos. Os abusos duraram até aos 9 anos de idade.

Apesar de ter sido removido desta posição, após ter confessado aos anciãos os abusos de outra criança, ainda assim ele manteve muitos dos privilégios anteriores. Pôde assim continuar a manter uma posição de confiança entre os adeptos na congregação (que segundo as normas da religião não são informadas dos procedimentos tomados pelos anciãos nestes casos).

A vítima comentou à BBC NEWS antes do veredito:

Estas [vítimas de abuso] não são apóstatas. Estas são pessoas que sofreram de horríveis, horríveis crimes e viram suas vidas completamente devastadas. Elas não procuram destruir a organização... Este é um problema que precisa de ser lidado e de modo apropriado porque apenas tem tendência para piorar.

O correspondente legal da BBC NEWS, Clive Coleman, reconheceu a importância do veredito:

Este é o primeiro caso civil por danos por abuso sexual no Reino Unido trazido contra a organização das Testemunhas de Jeová e o primeiro a ser levantado contra uma religião não-majoritária.

A advogada, representante da firma que defendeu a vítima, afirmou:

Este deve ser um alerta à organização das Testemunhas de Jeová de que ela precisa de implementar melhores políticas que salvaguardem as crianças e que estão em linha com o conhecimento atual acerca da protecção infantil e abuso sexual. E também espero de que seja um alerta aos membros da organização de que o abuso sexual é um problema dentro da organização e de que é um assunto de que eles precisam cuidar.

Créditos ao colega TJ Curioso:
Mais informações:


Categorias:

3 comentários:

  1. Sinceramente espero que em Portugal as vitimas tenham coragem de fazer o mesmo. Conheço 3 situações pelo menos, uma no final dos anos 70 contada em primeira mão pela minha irmã mais velha e o terror que as miudas da altura tinham em sair com determinado irmão á pregação. Ela escapou porque fez uma grande fita e disse que nao saia com o tal ''irmão'' e contou o que ele fazia, resultado ficou tudo abafado. Agora quarenta anos depois uma conhecida veio confirmar que era tudo verdade e que havia mais ''irmãos'' envolvidos em brincadeiras com as miudas. Segunda situação: uma amiga minha intima foi apalpada e abordada com linguagem obscena por um SM quando tinha 12 anos, contou aos anciãos, comissão judicativa, resultado tudo abafado porque era a palavra dele contra ela. Resultado essa pessoa chegou a cordenador e serve ''alegremente na paz do senhor'' ate hoje na congregação, passaram-se 25 anos. Terceiro caso aconteceu há cerca de 4/5 anos a uma jovem de 14 anos. Foi horrivel a miuda contou e ainda lhe tiraram os privilégios, a ele meteram num avião e mandaram para casa. Na comissão a familia da jovem descobriu que este pioneiro especial já tinha tentado fazer o mesmo a outra jovenzinha e os anciaos abafaram o caso. Que ele já tinha feito isso na designação anterior a outras jovens. A esposa do homem contou que ele a espancava. Resultado: desapareceram como dois fugitivos sem ''privilégios'' mas ele foi visto alegremente numa assembleia pouco tempo depois a tratar de alguns privilégios. Enfim foi a revolta mas por causa de usarem contra todas as testemunhas a questão que vão manchar a reputação de Jeová tudo se cala. E ai andam eles á solta. Nao posso indicar nomes nem locais pq as próprias vitimas não o desejam fazer queixa ás autoridades, infelizmente. Obrigada por me abrirem o olhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. \sou tj amais de 25 anos, deploro qualquer ato semelhante, por ser pecado, por fazer mal , mal quase sem cura, porém nunca vi ou ouvi isto acontecer entre nós e ficar no anonimato ou tendo qualquer proteção como declarado neste e nos outros relatos. percebo uma aparente falta de verdade ou uma aparente falta de justiça atribuída. fazer o que. até a jesus foi atribuido coisas que ele não fez ou o julgaram mal por não conhecer os fatos; se ele que era perfeito passou por isso imagina o que passasra o homem imperfeito. fica um conselho: se mesmo assim querem julgar, juguem os erros do homem, nuca a organização testemunhas de jeová. os senhores estão convidados a nos conhecer. valeu e muito obrigado por ter me permitido responder.

      Excluir
  2. Sociedades secretas, religiosas ou não, têm sempre algo a esconder.
    Infelizmente, conheço bem de perto, a atuação de alguns, até no que respeita a maus tratos ou "destratos", abusos e usurpação de bens, abandono e internamentos hospitalares, sucessivos de pessoas idosas a cargo de alguns destes supostos "irmãos". Tendo alta hospitalar, ali ficaram à espera da "boa vontade" de quem habitava a sua casa e usufruía dos seus bens...porque, sabemos todos, o trabalho faz calos, já diziam os antigos! Aconteceu mesmo a o meu lado...

    ResponderExcluir

Esse espaço é para um diálogo construtivo...agressões, palavrões ou mesmo ataques pessoais vão ser solenemente excluídos. Comentários que tem uma base de raciocínio e um desejo sincero para aprofundar sobre os temas citados serão muito bem recebidos e publicados. Seria interessante (não obrigatório)ao postar o usuário se identificar!